RMA Trends

Digite o nome de sua empresa no Google

7 de Novembro de 2016

Topics: Marketing de conteúdo, SEO, Planejamento de Marketing Digital


Compartilhe:     

Tema 01.jpg

Experimente e talvez você se surpreenda como eu me surpreendi na primeira vez que tentei. Claro que eu achei minha empresa, mas ela estava invisível, lá pela terceira ou quarta página da busca orgânica. Com o mesmo nome de minha empresa apareceram antes vários outros negócios, em diferentes setores. Ou seja, se um cliente ou prospect procurasse nosso negócio não vai encontraria. Ainda há pouco tempo perdemos uma concorrência (ou melhor, nem participamos) por essa razão. Um choque!

 Me lembro que quando isso ocorreu comigo eu fiquei em pânico, especialmente por ter aprovado um ambicioso e caro programa de marketing no ano passado. Qual pneu do nosso marketing estaria furado? Para não constranger nosso gerente de marketing resolvi pagar um almoço e me consultar com um amigo, meu guru em marketing e comunicação.

 

Meu amigo, que além de marketeiro é professor de marketing em uma grande universidade, me acalmou e me deu uma aulinha, mostrando o caminho das pedras. Ainda me lembro de sua frase, curta e grossa, que de início não entendi: "Indexação é o resultado natural do engajamento digital do público".... Ahan?

 

Vamos por partes. Antes de mais nada, é preciso entender o que o Google nos responde quando digitamos qualquer coisa. As respostas vêm na forma de anúncios (no topo da página, com o selinho de anúncio em verde e que quase ninguém lê). Depois dos anúncios vêm os conteúdos resultantes da chamada busca orgânica, que são ranqueados apenas em função interesse do público. Assim, quanto mais gente clicar em nosso conteúdo na busca orgânica (demonstrando seu interesse e a conexão deste com o conteúdo em questão), melhor ele será ranqueado, até que um dia ele estará ranqueado nas 1as linhas, da primeira página de respostas. Isso é "a indexação que resulta do engajamento".

 

Mas, claro, a coisa não é tão simples assim. Estamos falando de marketing digital, uma das competências corporativas mais valiosas no século XXI. O algoritmo do Google é muito sofisticado e não melhora o ranqueamento de um conteúdo apenas porque ele é aderente ao que foi perguntado. Aspectos mais sutis como as palavras-chaves dentro do título e do texto, a frequência de atualização das páginas de conteúdo, a originalidade (não faça copy/paste!), quantas páginas um usuário visita quando chega a um site, o tempo que fica em cada página, o número de usuários únicos, etc, tudo isso compõe as boas práticas de SEO (Search Engine Optimization).

 

O SEO é portanto um conjunto de técnicas que ajudam ao programador e ao gestor de conteúdo digital, a planejar e executar eficazmente o projeto de um site, blog, landing page, ou canal institucional da marca nas redes sociais. O SEO não é apenas um projeto executado quando se lança um novo canal na Internet, mas também e principalmente um conjunto de práticas, que partem do monitoramento, para ajustar continuamente o conteúdo e a usabilidade dos canais digitais.

 

SEO ou Publicidade Digital? O que dá mais retorno?

 

 

Agora, vamos supor que fizemos um belo planejamento de marketing digital, criamos estratégias de conteúdo para cada canal, seguimos estritamente as recomendações de SEO, monitoramos a evolução da marca na busca orgânica, até que um belo dia… Bingo! Nossa marca está sendo encontrada na 1a página da busca orgânica quando um internauta digita alguma palavra-chave (de uma dezena de possibilidades) relacionada a suas dores e necessidades. Sim, porque a busca nunca é direta… ninguém pergunta por Aspirina, mas pergunta por dor de cabeça, ou remédio para dor de cabeça, e nós temos que antecipar a forma como o usuário busca a informação (para isso precisamos conhecer intimamente o perfil, ou persona, deste usuário). Será que isso já nos tornaria altamente competitivos no marketing digital?

 

Esta foi a segunda pergunta que fiz para meu amigo e sua resposta foi bem clara: "Não basta ser visível e ser encontrável, é preciso se relacionar com seu público". Ahan? E meu amigo me explicou melhor. A partir do momento que você consegue atrair e engajar o público com a marca, é preciso nutri-lo com mais informações em seu campo de interesse e ir refinando esse conteúdo, até que nos tornemos "íntimos" do público. A intimidade traz confiança e, eis o objetivo de fundo, preferência na hora de comprar. Assim, podemos dizer que as campanhas de nutrição mais eficazes são aquelas que conseguem transformar comunicação de massa em "comunicação one-to-one". Obviamente, isto requer que as campanhas de engajamento e relacionamento com o público sejam geridas de forma contínua e personalizada.

 

Bem vindo à era do marketing digital, muito promissora, mas muito difícil, demandando capacitação, plataformas tecnológicas e muita humildade no relacionamento da marca com o público. Mas, parafraseando meu amigo e guru de marketing: "invisibilidade digital mata"!

 

SIGA

Assine

EBOOKS

Nova call to action
Nova call-to-action
New Call-to-action

ÚLTIMOS POSTS