RMA Trends

Comunicação corporativa e sustentabilidade: do discurso à prática

2 de Abril de 2014

Topics: comunicação corporativa, construção de marca, relações com a mídia, reputação, gestão de reputação e visibilidade


Compartilhe:    

Em tempos de engajamento corporativo falar em sustentabilidade pode ser algo muito simples. Difícil mesmo é colocá-la em prática e, ainda, comunicá-la de maneira eficiente e adequada ao mercado.

E qual é, de fato, o papel da comunicação corporativa nisso tudo?

sustentabilidade_comunicacao

A sustentabilidade é uma prática que, para ser efetiva, não deve ser imposta e precisa estar inerente à governança corporativa da empresa. Não são apenas os produtos que devem ser “verdes”, mas as práticas dentro do escritório, entre funcionários e, principalmente, entre os líderes devem ser verdadeiras. Vale lembrar que essa postura “sustentável” não é apenas economia de copinhos plásticos, mas tudo que pode ser feito para diminuir os danos ao planeta, como carona solidária entre os colegas de trabalho, disponibilidade para se trabalhar de casa e até mesmo o uso consciente do ar-condicionado.

Só depois de tornar-se cultura na empresa é que as ações de responsabilidade socioambiental devem ser divulgadas para seu público externo. Produtos denominados sustentáveis já são parte da preferência de compra dos consumidores. Ser “verde”, tornou-se um requisito, mesmo que isso pese no bolso do consumidor final. Acompanhando essa lógica, muitas empresas acabaram aparentemente adotando essa denominação nos seus produtos. No entanto, nem todas cumprem o que prometem.

Saber como comunicar boas  práticas de sustentabilidade é mais uma tarefa desafiadora para a comunicação. É preciso sim expor aos grupos de interesse as iniciativas da empresa. Faz parte da redução de gaps entre o que o público pensa da companhia e o que de fato ela é e, consequentemente, fundamental para a construção de uma reputação favorável.

Entretanto, é preciso cautela e muito planejamento para que não tenha um efeito contrário ao desejado. Isso só deve ser feito depois que as ações de sustentabilidade estejam estruturadas, em pleno funcionamento e com resultados positivos. Ainda, de maneira sensível e suave para criar empatia. Caso contrário, pode gerar uma imagem oportunista.

Um caso bastante comum hoje em dia e que pode ser mal visto, é quando uma organização resolve fazer um dia de voluntariado com seus funcionários em alguma instituição carente. Ela logo pede à agência de comunicação que prepare um press-release informando todos os detalhes sobre essa louvável força tarefa. Até o dia do evento, a empresa questiona sua interface sobre a falta de visibilidade da “notícia” e ainda pede que o profissional pergunte aos jornalistas mais interessantes se eles receberam a nota ou se vão comparecer. Se este exemplo soou como algo feito por “iniciantes”, então é sinal que você sabe que isso não tem nada a ver com boas práticas. Se te soou familiar, é melhor rever a estratégia. Atitudes assim pegam bem mal com imprensa ou outros formadores de opinião.

Você não vê empresas já consolidadas como sustentáveis, que recebem prêmios internacionais de melhores práticas ou têm diversos selos comprovando seu posicionamento agindo apenas uma vez por ano, certo? Essas organizações geralmente têm ou ajudam instituições o ano inteiro, gastam muito dinheiro em pesquisas para saber como reduzir sua pegada ambiental, usam matérias-primas naturais e tentam sempre conscientizar seu público da importância de adotar uma postura mais sustentável em sua rotina. Um bom exemplo disso é a marca de cosméticos Natura, que desde que foi fundada posiciona-se como uma empresa responsável social e ambientamente.

Assim como tudo que permeia a comunicação, não é simples. Um erro na estratégia e a empresa pode ser mal interpretada. Falar sobre as ações deve ser natural no discurso da companhia e de seus colaboradores. Não é apenas um press release de uma ação social ou uma parceria com alguma instituição carente que vai comunicar a adoção de um posicionamento mais sustentável.  O segredo é ter estratégia e continuidade, além da seriedade e, mais do que qualquer outra coisa, a prática, antes do discurso.

Proatividade-ja-7-boas-praticas-no-trabalho-de-relacoes-com-a-midia

SIGA

Assine

EBOOKS

Nova call to action
Nova call-to-action
New Call-to-action

ÚLTIMOS POSTS